Hit the road music #01 – MQN e seu Bad Ass rock´n´roll.

julho 29, 2009

Vamos lá para mais uma pretensa sessão deste projeto/blog.

O assunto é música.

Quando se fala em música e carros logo pensamos: Rock’n’roll. Nada mais óbvio.

Carros + música + rebeldia + garotas + juventude = rock’n’roll

Mas, não somos bitolados, vão surgir outras vertentes por aqui, afinal música é um estado de espírito, é uma sensação de momento. O que interessa aqui é dirigirmos ouvindo um bom som. Então sempre que eu me lembrar ou ouvir algum som que me remeta a essa sensação ele estará por aqui.

Vou começar pelo Do It Yourself, pelo mundo independente, e por meus conhecidos pra fazer um jabá, a banda goiana MQN.

Vermelho como o inferno.

Se som de garagem pode definir uma boa música pra se ouvir num hot os caras do MQN acharam a fórmula. É som de garagem, sujo, gritado, com cheiro de gasolina e pneu queimado. Carros, drogas, garotas, muito barulho e ímpeto. Além de um som consistente, Fabrício Nobre, o gritador da banda, faz parte da gravadora e produtora Mostro discos, responsável por dois dos maiores festivais independentes do Brasil, o Goiânia Noise Festival e o Bananada, realizados em Goiânia. Eles são cabeças pensantes no cenário do rock independente nacional.

Mas falemos de música.
A primeira gravação da banda saiu numa finíssima edição em formato vinil compacto, e já traduzia no nome do petardo o que interessa para essa coluna: Hot Rod Music. O compacto com 3 músicas, 1 do MQN e 2 da Thee Butchers’ Orchestra (outra banda que vamos indicar aqui futuramente).

Depois de mais um compacto em vinil, Devil Woman, lançaram um CD, HELLBURST de 2002 corfirmava a veia combustiva da banda, rock garageiro, sujo, pesado, feio e mau. Um excelente CD pra se ouvir junto com um barulho de motor. As performances ao vivo são sempre energéticas e malcriadas, comandadas pelo mestre de (sem)cerimônias, Fabrício Nobre.

Daí pra frente é só chapuletada na moleira. São dois CD o já citado e o Bad Ass Rock’n’roll de 2005, além de um projeto Fuck CD sessions, onde declaram o fim da instituição CD, e liberam a sua música independente e setentista garageira dos grilhões do formato. O Fuck Cd Sessions prevê o lançamento de 5 compactos de 7″ (isso mesmos old skulls, o bom e velho vinil) com duas músicas cada, embalado luxuosamente com o trabalho de designers e artistas independentes, em formato de singles, a conta gotas. O quarto volume do projeto foi recém lançado. O que? você não tem um fonógrafo???? Sem problemas, todas as músicas dos compactos e toda a discografia do MQN está disponível para download aqui, enjoy.

Hit the music, Old Skulls!!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: