Hit the road music #03 – Matanza

agosto 24, 2009

Capetinhas Pinups dançando can-can no Saloon do inferno, jogos de azar, bêbados, ladrões, assassinos, toda corja sangue ruim de foras-da-lei politicamente incorretos, almas vendidas a demônios, má educação, gangues de hippies psicopatas e rednecks loucos recheando histórias de terror e violência, e claro, carros envenenados, fugas alucinadas e paixões destrutivas. A trilha sonora pra esse mundo de minorias e páreas é o encontro de johnny Cash com o Lemmy do Motorhead no mesmo palco do inferno, mas também podemos chamar de Matanza e seu countrycore.

A idéia dessa mistura não é nova, afinal o rock surgiu no country, e tem outros irmãos, como o blues, o Folk , o Bluegrass, entre outros, mas no molho do Matanza ainda tem espaço para o punkrock, hardcore, metal, grind. É o feio, o sujo e o mal, é música combustível e pesada, cantada com ímpeto em alto e bom português, mal educado e mal encarado, mas de coração bom, tudo é uma questão de postura, afinal é preciso ter coragem para manter essas influências sendo uma banda carioca, mais acostumados a seus funks e sambas.

A relação da banda com o universo dos carros vai além das músicas, Jimmy, o ruivo vocalista, empresta sua carranca mal encarada a MTV, apresentando a versão nacional do programa Pimp my Ride que já teve duas temporadas patrocinadas pela VW. Em uma delas até produziu um Volksrod bacanudo usando o tema “palhaço”.

Voltando a Banda, fora a demo “Terror e Dashville” de 98, eles já contabilizam cinco discos lançados. Os singelos “Santa Madre Cassino” de 2001, “Música para Beber e Brigar” de 2003, uma homenagem a uma de suas maiores influências o “To Hell With Johnny Cash” de 2005, com versões de suas músicas do início de carreira (1955 a 1958), “A Arte do Insulto” lançado em 2006, com os petardos musicais “Clube dos Canalhas” e “Tempo Ruim”. Em 2008 eles lançaram uma coletânia ao vivo em CD e DVD, gravado no templo punkrock de São Paulo, o Hangar 110 sob assinatura da franquia “MTV Apresenta: Matanza”.

É isso Caveiras velhas, é som independente, “do it yourself”, vá ao show, compre o CD e ouça atrás de um volante, e pense que este poderia ser o som ambiente do elevador pro inferno.

A… essas músicas cheias de mensagens positivas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: